Causas da Reforma

No século XVI iniciou-se um amplo movimento de reforma religiosa, responsável pela perda do domínio da Igreja Católica sobre o mundo cristão ocidental.
O movimento de reforma religiosa deve ser compreendido dentro de um quadro maior de transformações. A Europa passou por um conjunto de transformações sociais económicas e políticas, que permitiram a uma nova sociedade, questionar o comportamento do clero e a doutrina da Igreja.

As principais causas da Reforma

Venda de indulgências

1) A crise interna à Igreja era caracterizada pelo comportamento imoral de parte do clero, situação que se desenvolvera por séculos, desde a Idade Média. A simonia era uma prática comum, secular, caracterizada pela venda de objetos considerados sagrados ou a venda de cargos religiosos. Os grandes senhores feudais compravam cargos eclesiásticos como forma de aumentar seu poder ou garantir uma fonte de renda para seus filhos, originando um processo conhecido como “investidura leiga”, principalmente no Sacro Império. A preocupação com as questões materiais – poder e riqueza- levou principalmente o alto clero a um maior distanciamento das preocupações religiosas ou mesmo de caráter moral. Os membros do clero tinham uma preocupação maior com os bens materiais, que seriam deixados em herança para osfilhos e a partir daí determinavam o comportamento “mundano” dessa

 

parcela do clero.
2) A ascensão do poder real; no século XVI formava-se ou consolidava-se o absolutismo em diversos países europeus e o controlo da Igreja ou da religião passou a interessar aos reis como forma de ampliar ou legitimar seu poder, explicando a intolerância religiosa que marcará a Europa nos séculos seguintes. O melhor exemplo desse vínculo entre a nova forma de poder e a religião surgirá na Inglaterra com a criação de uma Igreja Nacional, subordinada a autoridade do Rei.

https://historiaaraposo8ano.files.wordpress.com/2011/01/erasmo-de-roderdao.jpg
Erasmo foi o principal humanista pois dominava o espírito crítico, e questionava todos os abusos, inclusive os da Igreja Católica

3) A mentalidade renascentista

refletiu o desenvolvimento de uma nova mentalidade, caracterizada pelo individualismo e pelo racionalismo e ao mesmo tempo permitiu o desenvolvimento do espírito crítico, impensável até então, determinando um conjunto de críticas ao comportamento do clero. Também a invensão da Imprensa ajudou na divulgação das ideias protestestantes por toda a Europa

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Reforma. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s